Nenhum resultado encontrado. Redefina os filtros
Empresas estão repensando relação com a Oracle e estratégia para a nuvem
Relatório de Pesquisa
Empresas estão repensando relação com a Oracle e estratégia para a nuvem

Muitas equipes de TI estão reavaliando seus roadmaps de software corporativo, especialmente agora que fabricantes como a Oracle parecem estar reduzindo os esforços de inovação dos sistemas “core” que muitas organizações passaram anos customizando e utilizando como base de operações. Ao projetar seus roadmaps de TI para longo prazo, essas equipes precisam considerar três fatores importantes: o custo total de manter os sistemas atuais a capacidade de aumentar a vida útil dos aplicativos corporativos existentes enquanto planejam as próximas ações e o ponto de interseção em que a implementação da infraestrutura e do software corporativo futuros será viável e vai gerar valor Para entender como as equipes de TI estão avaliando suas opções, a Rimini Street conduziu a Pesquisa sobre Aplicativos Oracle 2019. Mais de 200 líderes e profissionais de TI avaliaram a relação com a Oracle, a satisfação com o suporte, os gastos e o impacto da Oracle, e os seus planos para o futuro.

Empresas assumem o controle de seus roadmaps
Infográfico
Empresas assumem o controle de seus roadmaps

Muitas equipes de TI estão reavaliando seus roadmaps de software corporativo, especialmente agora que fabricantes como a Oracle parecem estar reduzindo os esforços de inovação dos sistemas “core” que muitas organizações passaram anos customizando e utilizando como base de operações. Para entender como as equipes de TI estão avaliando suas opções, a Rimini Street conduziu a Pesquisa sobre Aplicações Oracle de 2019. Mais de 200 líderes e profissionais de TI avaliaram sua relação com a Oracle, sua satisfação com o suporte, os gastos e o impacto da Oracle, bem como os seus planos para o futuro. Este infográfico, criado com base no estudo sobre aplicações Oracle realizado em 2019, representa como as organizações estão repensando sua relação com a Oracle.

9 Mitos Comuns Sobre o Suporte a Software Corporativo
E-book
9 Mitos Comuns Sobre o Suporte a Software Corporativo

Você executa suas finanças, vendas, produção, recursos humanos e muito mais em seu software corporativo. Em certos casos, uma falha de sistema pode causar um enorme impacto à sua empresa e custar milhões por hora de inatividade. Portanto, ter um suporte profissional e de qualidade é fundamental. Tradicionalmente, os grandes fabricantes de software corporativos simplesmente têm usado o suporte e a manutenção como uma porcentagem dos custos de licença. Com essas tarifas, eles prometem fornecer correções, patches, certificações e atualizações. Mas, será que cumprem a promessa? Cada vez mais, as empresas estão analisando esse modelo de suporte a software corporativo com mais atenção. Este e-book aborda os mitos e as armadilhas que podem ter levado muitas empresas a desistir de abandonar o suporte do fabricante original, o que as impediu de conseguir economias significativas e oportunidades de inovação. Confrontamos essas dúvidas persistentes com fatos e dados, e oferecemos um guia prático sobre as opções que estão disponíveis para você.

Licenciados SAP e o caminho para o S/4HANA com a Rimini Street
E-book
Licenciados SAP e o caminho para o S/4HANA com a Rimini Street

As organizações de TI estão se sentindo pressionadas a iniciar uma cara implementação para substituir totalmente sua aplicação atual pelo SAP S/4HANA. Muitos licenciados SAP podem adiar essa decisão após avaliar a maturidade, os custos e o ROI limitado; enquanto outros podem dizer “não” ao SAP S/4HANA e avaliar outras aplicações modernas em nuvem. Outros vão apostar suas fichas e começar a jornada para implementar o SAP S/4HANA agora. Seja qual for o caminho escolhido, a Rimini Street ajuda os clientes a definir a estratégia para o SAP antes, durante e após a possível implementação do SAP S/4HANA. Este e-book destaca exemplos de como empresas como a sua estão otimizando seus roadmaps de ERP atuais e futuros com a Rimini Street.

Guia de Avaliação de Serviço de Suporte a Software Corporativo
E-book
Guia de Avaliação de Serviço de Suporte a Software Corporativo

Se você planeja executar seu software de ERP atual nos próximos anos ou já começou a procurar opções de nuvem, é importante ter um provedor de suporte que ofereça a capacidade e a flexibilidade de que você precisa para concretizar iniciativas estratégicas de TI. Seja qual for o fabricante do seu ERP, este Guia de Avaliação de Serviço de Suporte a Software Corporativo foi projetado para ajudar você a fazer as perguntas certas para avaliar os seguintes fatores, entre outros: Modelo de entrega do suporte Características do programa de suporte Modelo de custo e outras considerações de capacidade Valor total da parceria

Acelerando o Roadmap de Negócios de Varejistas com Suporte Independente
E-book
Acelerando o Roadmap de Negócios de Varejistas com Suporte Independente

Este eBook explora as razões por que o suporte independente pode ser a melhor maneira de acelerar seu roadmap orientado aos negócios.

Segundo a Nucleus Research: “Nove em cada dez clientes da SAP não demonstraram interesse em migrar para o S/4HANA”
Pesquisa e Análise
Segundo a Nucleus Research: “Nove em cada dez clientes da SAP não demonstraram interesse em migrar para o S/4HANA”

A exemplo de estudos recentes que destacam o baixo índice de adoção do S/4HANA, o trabalho independente da Nucleus Research conclui que 9 em cada 10 clientes do SAP ERP não expressaram interesse em mudar para o S/4HANA. O resultado reflete pesquisas recentes do Americas SAP User Group (ASUG) e do German SAP User Group (DSAG)1,2. Na verdade, 86% dos usuários entrevistados pelo DSAG disseram que estão fazendo pouco ou nenhum investimento no S/4 HANA3. De acordo com o estudo da Nucleus Research, a maioria dos clientes não considera o roadmap da SAP atraente o suficiente para considerar um investimento futuro e teme uma transição complexa e dolorosa caso as implementações SAP ERP atuais sejam abandonadas. Em vez de passar por uma migração disruptiva e arriscada, descobrimos que muitos clientes SAP preferem uma estratégia mais inteligente de “inovação além dos limites”. Como afirmado no estudo da Nucleus, as empresas escolhem as melhores soluções disponíveis que oferecem um maior grau de funcionalidade ou usabilidade de outros fabricantes. Por exemplo, nas últimas 80 transações de CRM que a Nucleus avaliou, somente duas empresas consideraram a SAP como opção. Considerando a desconexão entre as mensagens de marketing da SAP e a realidade do cliente, leia este relatório para entender por que a estratégia da SAP de migrar os clientes de ERP atuais para o S/4HANA pode não ser tão simples assim. 1 http://diginomica.com/2015/10/02/dsag-users-want-a-new-deal-with-sap-uses-s4-hana-survey-to-telegraph-intent/ 2 http://diginomica.com/2016/06/02/two-major-sap-user-groups-take-landmark-position-on-digital-transformation-an-inside-look/ 3 https://www.dsag.de/sites/default/files/dsag-investment_survey_priorities.png

Oportunidades de Redução Imediata de Custos com TI
Webinar
Oportunidades de Redução Imediata de Custos com TI

Assista a este Webinar, que foi realizado pelo IBEF-SP (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças de São Paulo) em conjunto com a Rimini Street, onde foram debatidos aspectos relacionados à redução de custos de tecnologia em um cenário extremamente desafiador. O tema foi discutido em um painel com Wagner Brilhante – CEO da Bombril, Thierry Soret – CFO da Usina Coruripe e Fábio Quintão – Diretor Sênior da Alvarez & Marsal, com a moderação de Edenize Maron – CEO da Rimini Street. E ao final Mauricio Molan (ex-economista-chefe do Santander) trouxe o cenário e as perspectivas financeiras.

Gentileza e eficiência é marca da Rimini Street
Vídeo
Gentileza e eficiência é marca da Rimini Street

Em uma declaração espontânea durante o Brazil Annual Client Meeting, Maria Augusta, CFO da Continental Parafusos fala sobre o processo de mudança para a Rimini Street e como foi surpreendida com o nível de senioridade, eficiência e agilidade da nossa equipe de engenheiros em relação ao antigo fabricante.