Transformação Digital: Estratégias para o Workload Oracle na Cloud

Community Contributor
5 min. de leitura

De acordo com o Gartner, as empresas têm 17 vezes mais chances de aumentar os investimentos em nuvem nos próximos 12 meses.

Esta é uma realidade também no Brasil. Impulsionados pela pandemia, os investimentos em cloud cresceram 3x mais em 2021, mesmo com a alta do dólar.

No entanto, cloud é muito mais do que infraestrutura: está voltado para a inovação e a forma como fazemos negócio. E o Gartner classifica isso em 3 grandes aspectos: democratização da tecnologia, inúmeros ecossistemas e diferenciação do negócio.

Migrar para uma infraestrutura cloud vai muito além dos custos: é preciso compreender o valor que essa mudança pode proporcionar ao negócio, em relação à capacidade de trazer a inovação e a modernização para a empresa.

Estratégias de Workload Placement

Diante do atual cenário em que vivemos, mais híbrido e digital, muitos negócios têm parte de sua infraestrutura interna, e outra externa, além das inúmeras opções dentro de cloud. E o ponto em questão é definir a melhor estratégia de distribuição desses workloads.

Ainda que possa parecer um caminho óbvio optar pela nuvem como uma solução definitiva, a resposta não é tão simples assim. É necessário analisar cada organização, assim como seu respectivo contexto, para indicar qual é a melhor alternativa.

Analisando do ponto de vista de fatores macro da organização, para tomar a melhor decisão, 7 pontos podem ser levados em consideração nesse processo: preferência organizacional, alinhamento de metas financeiras e estratégicas, características do workload, benchmarks e cases, restrições e limitações, habilidades e capacidades, ativos de TI existes e investimentos, e disponibilidade das opções de colocação.

Esse levantamento ajuda na compreensão de qual é o melhor caminho para a empresa: se existe uma preferência pelo total controle, se os ganhos e as vantagens da mudança valem a pena – com a finalidade de realmente proteger os investimentos do negócio – ou se, até mesmo, existem restrições regulatórias que dificultariam a migração e como todos esses aspectos irão interferir, direta e indiretamente, no sucesso da corporação.

O processo de migração para a nuvem

Contar com uma estratégia de cloud, juntamente com um plano de implementação específico a cada workload, é fundamental para o sucesso dessa migração, assim como outros aspectos, como governança e compliance.

“Cloud não é você tirar daqui e colocar ali, não é somente o data center de uma outra pessoa. A realidade cloud exige uma maneira de trabalho diferente, um modelo operacional diferente”, diz o Senior Research Director do Gartner, Henrique Cecci.

Essa estratégia precisa levar em consideração diversos fatores, como os objetivos com essa mudança, o risco que ela pode acarretar, a expertise da estrutura organizacional e todos os demais aspectos estratégicos do negócio em si. No entanto, a tática isolada não é o suficiente: é preciso que o plano de execução esteja igualmente alinhado a esses aspectos.

Migração do Workload Oracle: considerações sobre a implementação

Sabia que 70% das empresas com Workload Oracle ainda não migraram seus workloads para cloud?

Existem 5 aspectos importantes que podemos avaliar antes da migração do workload de Oracle para a nuvem. O primeiro deles é o licenciamento, ponto mais delicado da equação devido ao seu alto custo na aquisição. Outros itens são sobre os produtos implantáveis, capacidades técnicas, suporte e incentivos de imigração.

É preciso levar em consideração, também, as alternativas de provedores de cloud para o sistema Oracle, que vão desde a alternativa oferecida pela própria marca até o ambiente de nuvem não autorizado Oracle. Neste último caso, a sua empresa pode contar com o apoio da Rimini Street para realizar a migração, sem qualquer dificuldade.

“Em várias pesquisas do Gartner há a recomendação de ter parceiros e experts para realizarem essa migração de maneira mais tranquila, de forma que gere menos problemas ou dificuldades”, reforça Cecci.

Lembre-se: a migração para a nuvem exige um processo contínuo de gestão de custos, otimização e multicloud.

Ensinamento Gartner sobre migração para cloud

A cloud evoluiu e, com isso, não é mais uma questão tecnológica, somente. Trata-se da forma como os negócios são feitos e impactam diretamente nas oportunidades futuras da organização.

É necessário compreender que a resistência a essa tendência nem sempre é o melhor caminho para as empresas.  Aquelas que não focarem nos resultados digitais poderão se tornar obsoletas. Por isso mesmo, a digitalização precisa ser uma das metas de negócio.

Conte com parceiros especializados no assunto para alavancar esse processo. Preocupe-se em atrair e reter talentos de alta performance em sua empresa.

Migrar ou não o Workload Oracle para Cloud: qual a melhor escolha para o seu negócio?

Existem inúmeras opções disponíveis em TI e, escolher a correta, que realmente faça sentido para as necessidades e objetivos de negócio, é algo de extrema complexidade. Escolher migrar ou não o Workload do ambiente Oracle para cloud não é diferente.

“Muitas vezes o que faz sentido para tecnologia, não é o que faz sentido para o negócio. É preciso contar com profissionais que analisem as vantagens e desvantagens, para assim, obter sucesso com a escolha”. Bruno Faustino, VP Service Delivery & Strategic Services LATAM, Rimini Street

A primeira resposta a ser buscada, diante do cenário, é compreender qual o real benefício para a empresa. Se o objetivo é melhorar a performance, ou, até mesmo, obter relatórios mais eficientes e com insights. Com esse direcionamento, a quantidade de opções que se enquadram nas necessidades tende a diminuir, e o caminho da decisão se torna mais claro.

Para apoiar as corporações que precisam definir se irão optar ou não pela migração e, até mesmo, qual ambiente cloud é o mais indicado, a Rimini conta com 4 principais soluções, que vão desde a mais tradicional, como o Serviço de Suporte, que atua diretamente no suporte de qualidade e no apoio a projetos de cloud. E, também, o Advisory Service, que ajuda o cliente a entender os objetivos de negócio, analisando desde licenciamento, arquitetura, performance, e todas as demais variáveis e especificidades da empresa, para compreender se realmente faz sentido. Assim como Serviços de Migração e Gerenciamento, que irão suportar a mudança e o pós-mudança do ambiente de armazenamento.

O principal diferencial que a Rimini oferece, após o diagnóstico das necessidades de negócio, é a definição de arquitetura, em que questões, como o licenciamento, são consideradas. A análise tem o papel de concluir, de forma individualizada, se o mais indicado é, de fato, migrar o Workload Oracle para a nuvem e, até mesmo, qual ambiente cloud é o mais adequado pelo ponto de vista de melhor funcionamento do sistema crítico da empresa e nível de suporte aplicado.

Existem casos em que a atuação da Rimini, na migração do Workload Oracle para a nuvem pública, resultou na diminuição no número de core necessários para obter os mesmos recursos, além disso, essas empresas puderam manter seus softwares legados, que não tinham mais o suporte do fabricante, com o suporte Rimini.

Uma grande vantagem, pois em muitos casos, seria necessário realizar o upgrade no licenciamento para continuar com o suporte para o novo banco de dados. Impactando as suas aplicações e área de negócios, e resultando em custos desnecessários para a corporação.

Clique para assistir ao webinar e conferir o conteúdo completo.

Obtenha mais valor dos seus investimentos em software empresarial com a Rimini Street! Entre em contato conosco e saiba qual é a melhor alternativa para a sua organização inovar na jornada de transformação digital, além de aumentar a qualidade do serviço de suporte e reduzir custos.